O SENTIR DA DESCOBERTA
204
post-template-default,single,single-post,postid-204,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

O SENTIR DA DESCOBERTA

“Tudo o que você está vivendo agora não passa de um reflexo de como você se sentiu lá atrás. Ou seja, toda energia que você viveu lá atrás te levou a vivenciar o que você está vivendo hoje” (@ikonora)

Estava no Instagram observando a vida alheia (rs) quando me deparei com a frase acima, minha primeira reação (deve ter sido a sua também) de que não era bem assim, EU NÃO TINHA DESEJADO TER CÂNCER, e comecei a inventar um monte de desculpas.

Ai parei, li novamente e um flash da minha vida veio a memória. Era verdade, eu desejei (mesmo que inconscientemente) aquilo que eu estava passando. Essa frase pode nos remeter a coisas boas e ruins, você pode estar em um ótimo momento por ter se dedicado a isso, ou não, estar mal porque você canalizou sua energia para coisas externas e sem grande significado aos seus valores.

Bem, a minha história se encaixa na segunda opção, estava em um momento infeliz, e o flash me levou para o final de dezembro de 2018.

“Era manhã de uma quinta-feira do mês de novembro, havia meses que os dias eram terríveis, e naquele dia chorava sozinha sentada no chão da minha antiga casa e dizia “eu só posso estar doente, sinto tanta dor no meu peito e não há meios dela passar?!” Falei tantas vezes que ficaria doente que no início de dezembro descobri o câncer de mama”.

Quando recebi a notícia enfrentava uma situação grave com meu ex-namorado e lembro que ele disse “temos que agradecer, porque não é um câncer ou qualquer outro problema de saúde” respondi “se eu tiver câncer um dia, me mato.

Pesada frase, né? E ao contrário do que falei, escolhi VIVER.

Um misto de sentimentos negativos tomou conta de mim no final do ano. Culpei o mundo, culpei a mim, senti medo mas, o sentimento muito forte foi a INVEJA.

Você pode pensar “Inveja do que?” Inveja da saúde das pessoas. Pensava: “Essa pessoa está desperdiçando a vida e o tempo dela fazendo isso, e eu querendo apenas ter a saúde dela, que já não tinha mais.”

Vi meus sonhos se desmaterializando no momento que recebi o diagnóstico. “Como sonhar se eu nem sabia se no próximo ano viveria. Mas, como viver sem sonhar?”

A vida fica sem propósito, vazia. O que era pior… a vida sem propósito ou o câncer? Eu não conseguiria viver sem sonhar, então precisava resolver o problema e lutar pelo que de fato era valoroso, a MINHA VIDA.

Sabia que a luta seria difícil, iria percorrer um caminho desconhecido e doloroso, mas tive a certeza que o câncer era apenas uma pedra no meu caminho e a minha convicção de que tudo daria certo, veio com resgate da minha identidade.

1 Comment
  • Daniela Reis
    Posted at 20:09h, 15 março Responder

    Guerreira! Orgulho de você!

Envie um comentario